quinta-feira, 14 de junho de 2018

5 dicas infalíveis para você escolher a escola de inglês ideal




5 dicas infalíveis para você escolher a escola de inglês ideal



Muitos pais e profissionais sofrem com tamanho número de escolas que existem no país, na busca pela escola ideal para aprimorar o inglês. E o mais triste é que mais de 90% destas escolas, infelizmente, ensinam o idioma com métodos extremamente ultrapassados, muitas vezes focados na “decoreba” ou na tradução. E é justamente por isso que hoje trazemos 5 dicas sobre o que você deve considerar na hora de escolher uma boa escola de idiomas:
1

          1- Qualidade de ensino acima da imagem ou comunicação de massa.

Sim, acredite, nem sempre uma marca (ou marcas) que divulgue bastante na imprensa com comerciais, por exemplo, ou que seja muito cara (ou, pior ainda, muito barata!) representa o que há de melhor no mercado. É só tirar como exemplo um restaurante.... com certeza você conhece inúmeras hamburguerias que são mil vezes melhores do que as grandes redes de fast foods, não é? E esses bons restaurantes nem sempre têm campanhas publicitárias caras ou competição com preços mais baratos, por exemplo.


Então, o mesmo se aplica às escolas de idiomas. Também falando em ‘tamanho’, é claro que uma escola muito pequena não consegue entregar um método e/ou diversas ferramentas aos alunos. Mas o fato de ser enorme também não representa que será de alto nível.
Assim, como saber se a escola é de qualidade? Simples, procurando meios de se comprovar a qualidade do ensino sem “cair no conto do vendedor” desta escola.

Uma excelente ferramenta é buscar indicações e, principalmente, conhecer o corpo docente da unidade. Quando o coordenador/a é competente e respeitado é enorme a chance da escola ser de alto nível. Pois, como responsável pelo pedagógico, a coordenação será a responsável em contratar professores de alto nível (infelizmente, raríssimo atualmente), acompanhar o rendimento dos alunos (e professores), entender e resolver problemas e verificar se o método e o aprendizado estão ok.

Outro meio de se comprovar a qualidade é verificar e ter comprovações que os alunos desta escola/unidade conseguem realmente alcançar a fluência no inglês. Diplomas da própria escola não valerão de muita coisa no exterior e/ou em uma multinacional aqui no país (nem comprovará o real nível do aluno). Mas para adquirir essa comprovação e certeza de qualidade no ensino um bom critério é se a escola aplica e prepara o aluno para exames internacionais de proficiência no idioma (exames de Cambridge, por exemplo).  Escolas como Cellep, Cultura Inglesa, Centro Britânico Idiomas, Seven e Red Balloon preparam os alunos até o último estágio dos exames de Cambridge (CPE - Proficiency). E este diploma é a garantia da fluência do aluno.

      2- Analise preço x valor

Acredite, o barato sai bem caro.  E valor é muito mais importante do que preço para selecionar a escola ideal. Infelizmente (ou felizmente) escolas com bons professores (e não aventureiros) são mais caras do que maus professores. Então, é quase impossível uma escola barata ter bons professores, simplesmente por não pagar a eles um valor digno e que condiz com seu preparo e currículo.

Por outro lado, não adianta pagar uma fortuna por um curso que oferece infinidades de serviços, mas com qualidade das aulas abaixo do esperado. Procure o melhor custo benefício. Uma boa dica é verificar em sites de reclamações como, por exemplo, “Reclame Aqui”. Procure e leia o que usuários e alunos falam da escola que você está pesquisando antes de fechar um contrato por lá. E sempre busque conhecer o coordenador/a da unidade. Quanto tempo ele/ela fica por lá? Qual é o apoio dado para alunos? E se a coordenação nunca estiver presente na unidade.... fuja!

      3-  Comentários dos estudantes e referências

Cursos de inglês são prestadores de serviço, e por isso, buscar por recomendações  e indicações de outros alunos talvez seja o melhor termômetro para analisar a qualidade e eficácia de uma escola. Afinal, como as referências em sites de reclamações, por exemplo, o “boca a boca” é o melhor canal para a busca de referências.

Pesquise muito antes e converse com pessoas que são referência para você (colegas de trabalho, familiares ou amigos que falam bem o idioma...)

Não conhece ninguém que possa usar como referência de inglês? Hoje em dia, redes sociais contam com um grande número de recomendações dos mais diversos serviços e escolas de idiomas é um desses exemplos. Enfim, esses estudantes (ou ex-alunos) poderão avaliar melhor do que ninguém a localização e recursos do local, além dos professores, funcionários, serviços, etc.

      4- Recursos disponíveis na escola

Assim como uma boa aula, os recursos oferecidos pelas escolas de idiomas podem variar bastante – lousas digitais, uso de aplicativos como parte do curso, diferentes tipos de matérias didáticos, etc... Entretanto, é essencial que uma boa escola de inglês ofereça no mínimo os itens básicos, como conteúdo online de alto nível, fácil comunicação entre alunos e coordenação, atividades extra-classe que promovam o uso do inglês real, uma boa biblioteca, etc..

Além disso, algumas escolas e instituições oferecem inclusive outras maneiras eficientes de interagir com outros estudantes e fazer novos amigos, como concursos culturais e competições, por exemplo. Pergunte sobre esses recurso na hora de pesquisar e busque visitar o local para um ‘tour’ dos mesmos.

Outra ideia para reconhecer esses recursos é pedir uma ‘aula demonstrativa’ na hora da pesquisa, antes de tomar sua decisão. Esse tipo de iniciativa mostra que a escola não tem nada a esconder e nesse momento você poderá entender mais concretamente o método e o tipo de aula da escola, algo que pode ser bem ‘abstrato’ na hora do bate-papo de vendas.

        5- Eventos e vivências no idioma

Ninguém quer passar a maior parte do tempo apenas estudando dentro da sala de aula, com exercícios no livro, completando lacunas e etc, não é mesmo?  Aliás, a melhor maneira de se aplicar o que se é aprendido na sala de aula é utilizar-se de eventos e simulações de situações reais para interagir e trocar o que se é aprendido.
Essas vivências saem do que é aprendido nos livros somente e são pequenas simulações do que você encontra ao viajar, passar por uma entrevista de emprego, ir às compras e muito mais, tudo em inglês! Nas escolas, busque por encontros usando o inglês, festas, jogos entre alunos, simulações de situações reais, sempre com o intuito de se falar um inglês mais natural e real.

Para isso, é importante verificar se a coordenação e a sua unidade da escola de interesse estão bem antenados com este assunto. Fuja de escolas que não ofereçam esse ‘algo a mais’ e batam muito em cima do que é dado somente em sala de aula. Pois é mais do que fundamental e de suma importância participar disto para realmente aprender e fixar o inglês na sua vida.
Somente algumas escolas incluem no seu método de ensino atividades sociais que vão te ajudar a explorar o inglês mais natural, por isso esse deve ser um item na sua lista de itens na procura pela melhor escola. E, por isso, é bem fácil de se verificar isto. Escolas sérias possuem fotos divulgando tais eventos, peça para dar uma olhada e busque por esse tipo de comprovação também nas redes sociais da instituição.


E é isso! Acreditamos que ao procurar uma escola de nível, se você conseguir verificar ao menos estes 5 itens, com certeza fugirá de escolas “caça-níqueis” que infelizmente fazem parte da grande maioria no mercado de idiomas no Brasil hoje! Boa sorte na sua busca e bons estudos!

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More