quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Em qual escola devo colocar meu filho pequeno para aprender inglês?



 

Em qual escola devo colocar meu filho pequeno para aprender inglês?


Cuidado com alguns "programas bilíngues" ou "sistemas didáticos"!


Primeiramente é importante salientar que a qualidade do professor é um dos itens mais importantes para se escolher a educação para seu filho.  E infelizmente isto é o que mais anda em falta no mercado atual.

Tirando como base as escolas bilíngues por exemplo. O que vemos são inúmeras escolas com programas bilíngues que nada mais são do que escolas normais que contratam empresas que vendem livros e processos que se "vendem como bilíngues" mas na verdade não são. Muitas vezes uma repetição da mesma matéria dada em um determinado horário em outro idioma.  Mas o mais importante: o professor não é gabaritado, apenas teve um "treino" em como utilizar o livro. Uma dica é analisar o tal programa "bilíngue". É conhecido? Quanto tempo de mercado? Em quais escolas atuam? Os proprietários da marca possuem experiência pedagógica? Ou são meros vendedores?

 Para facilitar a sua decisão é importante saber quem será o professor do seu filho. É imprescindível que esse profissional tenha formação universitária ou principalmente se possui certificados internacionais de proficiência. Afinal, é importante que ele esteja bem preparado para ajudar o seu filho a falar inglês fluentemente. O desenvolvimento profissional após a graduação de um professor de línguas é um enorme diferencial e cada vez mais raro em uma escola.


Infelizmente, o perfil do professor de inglês de escola infantil e de fundamental I, para escolas bilíngües ou não, ainda é muito indefinido. No Brasil o professor de educação infantil e de primeira à quarta série deve ter cursado pedagogia, porém ainda não está apto para o inglês e nem o estudo da didática para lecionar o idioma para crianças de dois a nove anos nas grades curriculares das universidades brasileiras.
 
Infelizmente, a grande maioria das escolas bilíngues não estão aptas a carregarem este título. Justamente porque seus professores não estão preparados para darem aulas dentros dos parâmetros do termo bilinguismo.
 
Mas claro, tudo depende da qualidade dos professores, pois existem (um menor número) professores que durante a graduação fazem cursos de línguas e buscam certificações internacionais, entre elas: Certificado de Inglês Avançado da Universidade de Cambridge, CAE (Certificate in Advanced English), o sistema internacional de verificação de proficiência da língua inglesa, ELTS (The International English Language Testing System) do British Consul, entre outros.
 
Esses certificados são uma garantia de que o profissional é conhecedor do idioma em toda a sua extensão, inclusive na oralidade. Se o professor tiver um certificado internacional, a pronúncia dele terá um acento correto e seu filho terá um bom modelo. Por exemplo, o professor vai iniciar o curso do seu filho com conteúdos simples e durante as aulas ele vai ler e cantar para o seu filho, vai ensinar os nomes das cores e dos objetos de sala de aula, vai dar instruções para atividades como jogos de tabuleiro e muitas outras atividades. Isso é um excelente começo, mas não é suficiente para o sucesso do curso do seu filho pequeno. Um professor de qualidade deve saber o idioma e, principalmente, como ensiná-lo.
 
É muito importante que os pais exijam tais diplomas para a escolas e seus respectivos professores.
 
Os certificados de conhecimento do idioma não garantem que o profissional tenha técnica adequada para lecionar. É necessário que o profissional procure pós-graduações específicas para as faixas etárias que deseja ensinar. Por exemplo, o CELTA (Certificate in Teaching English to Speakers of Other Languages) Certificado para lecionar inglês para falantes de outros idiomas é indicado para professores que desejem ensinar jovens e adultos. Depois desse, há um segundo módulo que prepara professores para ensinar crianças pequenas. Esses certificados estão de acordo com o Quadro Comum Europeu de Referencia para Idiomas, conhecido como CEFR (Common European Framework of Reference for Languages).
 
Pergunte na escola de educação infantil que você tem intenção de matricular o seu filho pequeno sobre as certificações nacionais e internacionais do professor de inglês dele. Se o coordenador da escola não souber do que se trata ou não oferecer as informações prontamente, desconfie e de preferências para alternativas no mercado como escolas de línguas consolidadas no mercado que trabalham com crianças a partir de oito anos, intercâmbios culturais, professores particulares com certificação, entre outras. Caso a escola tenha professores certificados, matricule seu filho tranquilamente que, no que depender do professor, seu filho vai ter um excelente curso e oportunidade real de falar inglês fluentemente antes dos 10 anos. 
 
 

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More