quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Cinco motivos para não parar de estudar inglês


Cinco motivos para não parar de estudar inglês


A percepção de que não se está mais evoluindo ao aprender uma língua é geralmente um dos motivos relatados para se parar um curso. Segundo a coordenadora da Open Doors Teens, Valerie Arevalo, o aluno pode se sentir desestimulado diante de um longo tempo de estudo de um idioma, por exemplo, e achar que não está agregando mais novos conhecimentos, o que motiva a sua saída.

“De fato, quando os alunos chegam no nível intermediário, onde já tem alguma competência na conversação, há um sentimento de estagnação. No início, quando tudo era novo e diferente, a percepção é de aprender mais e mais rápido. Ou seja, não é que não exista mais evolução, apenas não é tão perceptível como era no começo do curso”, avalia Arevalo.


Mas a coordenadora alerta que aprender inglês, como qualquer outro idioma, é baseado na prática. Parar os estudos pode trazer dificuldades nas habilidades já conquistadas, além de retardar o progresso na evolução escolar. “Cada indivíduo tem um ritmo de aprendizado e os programas do nosso curso são construídos levando isso em consideração”, explica a coordenadora.

O aluno Pedro Henrique de Godoy, 16 anos, passou pela experiência em ter “dado um tempo” de um semestre no curso de inglês. Estudante da língua desde os seis anos e já se sentindo fluente, ele relatou que neste período em que ficou sem estudar, sentiu dificuldades de articular as habilidade já conquistadas. “Um dos primeiros sinais foi com as letras das músicas. Comecei a ter dificuldade em entendê-las”, disse.

Outro problema que Pedro aponta é de que já não tinha mais tanto tempo dedicado para estudar inglês. “Eu até tentava praticar falando sozinho em frente ao espelho, mas com a correria das outras atividades, isto ficou de lado”, conta. Pedro ainda disse que voltar ao curso foi essencial para se sentir mais seguro em usar a segunda língua nas mais diversas situações. Uma delas é conversar com um amigo brasileiro que mora no Canadá. “Mas só falamos em inglês”, garante.


 A interrupção do aprendizado do inglês não é só ruim para os mais velhos. As crianças que estão aprendendo e param, podem perder um momento essencial no qual o idioma é aprendido quase de forma natural paralelamente a língua materna. “É a chamada ‘Janela de Oportunidade’, na qual a criança está mais apta a absorver o conhecimento através da prática e de forma lúdica”, explica a coordenadora pedagógica da Open Doors Kids, Marina Bezerra.   
As coordenadoras listaram alguns motivos para não interromper um curso de inglês e continuar sempre estudando. Veja abaixo:

1. Aproveitar a ‘Janela de Oportunidade’

No caso de crianças, é na chamada primeira infância que o cérebro está se moldando ao conhecimento por meio de experiências e vivências diretas. Segundo os especialistas, esse é o momento da vida de um indivíduo que ele está mais apto a construir conhecimento. Mais tarde, essas oportunidades tendem a ser mais escassas ou com menor qualidade.

2.  Não perder a prática

Como em qualquer atividade, a fluência em um idioma depende de uma prática constante. “Interromper os estudos traz dificuldades nas habilidades já conquistadas, evidenciado na perda de vocabulário e capacidade de produção oral”, afirma a coordenadora do Open Doors Teens, Valerie Arevalo.
 

3. Continuar com o progresso

O estudante de inglês tende a achar que seu aprendizado é realmente mais rápido nos ciclos mais básicos, porque os avanços são mais perceptíveis quando se parte de um nível muito elementar, as vezes quase do “zero”. Mas parar o curso pode prejudicar a própria evolução e colocar a perder o que já foi aprendido. Segundo Valerie, os cursos são programados para cada etapa de aprendizado das crianças e adolescentes. “A interrupção do curso de idioma termina por alterar essa progressão o que pode resultar em uma maior dificuldade ao se retomar esse aprendizado mais tarde”, explica.
4. Aproveitar o tempo dedicado

Um curso de inglês é pensado nos mínimos detalhes para criar um ambiente ideal de aprendizado tanto para crianças como para adolescentes. “É quando se tem a oportunidade de experimentar a segunda língua de forma significativa, como se fosse sua língua materna”, reflete a coordenadora, Marina Bezerra.
 

5. Economizar o tempo disponível

Quanto mais tarde o aluno deixa para retomar o aprendizado do idioma, maior a probabilidade de competir com outras demandas, como por exemplo, o Enem, que exige foco quase que exclusivo. “Aprender uma outra língua nesta situação se torna quase um desafio. É bom considerar que a continuidade dos estudos desde criança garante que o aluno chegue aos 15 ou 16 anos falando o idioma fluente e já preparado para os exames. Ele, então, pode investir o tempo para estudar outras disciplinas”, sugere Marina Bezerra. 

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More