quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Como encontrar uma escola realmente bilíngue.



Como encontrar uma escola realmente bilíngue.


Hoje em dia existem inúmeras ofertas de educação bilíngue disponíveis para pais e responsáveis. Em sua grande maioria são escolas regulares de ensino fundamental com promessas de transformar os alunos em crianças bilíngues no idioma inglês. Mas é preciso ter bastante cuidado na escolha desse tipo de ensino, pois são raras as escolas que entregam exatamente o que eles prometem: cidadãos fluentes em dois idiomas.

A definição mais comum de bilíngue é a da pessoa que fala e entende perfeitamente uma segunda língua tratando desta língua com a mesma facilidade do idioma nativo. O indivíduo realmente bilíngue lida com o segundo idioma com a mesma facilidade e naturalidade que a língua natal de seu país. Inúmeros estudos comprovam que a pessoa realmente bilíngue, assim, precisa adquirir as duas línguas ao mesmo tempo, entre dois e sete anos de idade, quando a janela de aprendizado de idiomas está completamente aberta e apta para a captação de linguagem.

Por que bilíngue?


Em um mundo globalizado onde os pais se preocupam cada vez mais cedo com a aquisição do segundo idioma algumas escolas aproveitam desta preocupação mais como apelo comercial para vender mais matrículas do que de fato com o propósito do ensino correto do idioma.

Infelizmente, muitas escolas consideram a apresentação da matéria ensinada em português e repetida em inglês em um horário extra, como bilinguismo. A proposta é manter os alunos por um tempo extra no colégio com a repetição do conteúdo programático novamente em inglês. Muitas vezes temas muito associados à cultura brasileira, sem nenhuma aplicabilidade ao contexto do inglês.

Tirando como base este modelo errôneo de bilinguismo, os alunos são expostos muito mais ao português do que a segunda língua, um projeto que se equipara a maior parte dos cursos de inglês extracurriculares, chegando às vezes a somente 50 minutos diários de inglês.

E o que é ainda pior. Outras escolas chegam a apresentar algo ainda mais limitado, chamando o curso de ensino bilíngue e oferecendo ‘projetos’ fora da sala em inglês, mais uma vez prometendo uma exposição dos alunos ao idioma que se compara aos cursos em escola de idiomas especializados. Muitas vezes o projeto tem mais a preocupação da venda de material didático do que o conteúdo e o desenvolvimento dos alunos.

O mais importante para os pais terem em mente, ao procurarem escolas de ensino fundamental bilíngue, é que a educação bilíngue é muito mais do que apenas aprender línguas ou apresentar um tema em um certo idioma. De acordo com Paulo Freire: “Cada língua tem um modo de “dizer o mundo”. E ao conhecer outras línguas, estabelecemos contato com outras formas de pensar, de agir e de se comportar. Esse é o mais importante objetivo da educação bilíngue: a ampliação da visão de mundo para se pensar e falar naquele idioma.

Dicas importantes para a escola da melhor escola:


- Desconfie de escolas que não cobrem uma taxa extra pela educação bilíngue dos alunos. As escolas muito baratas acabam adicionando o inglês apenas como ‘extra’ no curso e não podem ser chamadas de projeto de bilinguismo.

- A educação bilíngue só acontece de maneira real se for bem pensada e planejada, enriquecida com muitas histórias e perspectivas da cultura que ela apresenta. Busque por escolas que ‘respirem’ o segundo idioma, tanto na grade escolar como nas tradições e práticas na escola.

- Tenha em mente que o aluno sempre terá o contato com a língua mãe (português) em muito maior quantidade que qualquer segunda língua, por conta dos familiares, amigos, mídia etc. Assim, quanto maior a carga horária de imersão no segundo idioma, mais real será a prática do aluno e, finalmente, melhor o resultado da sua formação como um cidadão realmente bilíngue.

- Compare a carga horária e a proposta de ensino de inglês das escolas regulares associadas a um curso de inglês extracurricular oferecido por institutos de idiomas. Muitas vezes a proposta é mais interessante não só financeiramente, mas, mais importante, um curso extra estende o ambiente de ensino do aluno e oferece mais uma visão da cultura e do uso real do inglês.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More